João Henrique vai para secretaria de Governo de Michel Temer

Ele substituirá Antônio Imbassahy que será deslocado para o ministério do Turismo, cujo titular Marx Beltrão deixou o cargo

Por Pedro Alcântara
16/11/2017, às 21:52 - Atualizado em 16/11/2017, às 23:29

A notícia saiu no Painel da Folha de São Paulo edição desta  5ª feira, 17: o vice-presidente do PMDB do Piauí, João Henrique de Almeida Souza deverá ser nomeado ministro Chefe da Secretaria de Governo. Ele substituirá Antônio Imbassahy que será deslocado para o ministério do Turismo, cujo titular Marx Beltrão deixou o cargo. É a segunda vez que  Souza ocupa um ministério. A 1ª foi na segunda gestão de Fernando Henrique Cardoso quando comandou o ministério dos Transportes, tendo marcado sua gestão aqui pelo trabalho feito nas rodovias federais. Amigo do presidente, atualmente ele é o presidente nacional do SESI.

Ex-ministro João Henrique

CONFIRMAÇÃO

Por telefone, João Henrique que está em Teresina, disse que não daria entrevista. Confirmou que recebeu uma ligação do ministro Moreira Franco solicitando que ele esteja em  Brasília neste domingo a pedido do presidente da República. “Não sei o que é, mas vou lá”, disse.

ALIVIADOS

Com a nomeação de João Henrique para a secretaria de Governo, o projeto que ele desenvolve percorrendo o Estado por uma candidatura própria do PMDB para 2018, pode se tornar inviável. É que, a pasta vai ocupar todo o seu tempo. Um alívio para o Karnak e PMDB.

PAI & FILHO

Com João Henrique na secretaria de Governo do Palácio do Planalto ficarão então, dois piauienses no mesmo andar, pai e filho, ao lado do presidente, uma vez que o filho de João Henrique é o Chefe de gabinete do Michel Temer.

SETE, MATARAM O ASSALTANTE

As informações passadas a Polícia por testemunhas, sinalizam que ao menos sete pessoas participaram da execução do assaltante Isaías Rodrigues da Silva de 18 anos. Ele foi sequestrado, torturado, morto a bala e jogado no rio Poti na noite de domingo, dia 12.

Isaías Rodrigues da Silva / Foto: Portal Cidade Verde

INVESTIGAÇÃO

O Delegado Bareta, Chefe da Homicídios, iniciou o inquérito. Os acusados deverão responder homicídio, sequestro, ocultação de cadáver e tortura. A necropsia vai dizer se ele foi jogado com vida no rio. O Delegado não descarta a participação e PMs no caso.

HISTÓRIAS DA CÂMARA MUNICIPAL

Quem se espanta com os fatos verificados na eleição da eleição da Câmara Municipal Teresina nesta 5ª feira que reelegeu o presidente Jeová, é porque não conhece sua história. Isso vem de longe.

1 - Ainda no império, a Câmara tinha função Legislativa estadual. Ao promover a transferência capital para Teresina, Saraiva não contava com maioria e recebia forte oposição de Oeiras. Consta que, ele trouxe o cofre e atrás dele veio a maioria dos políticos.

2 - Na década de 50, dois vereadores trocaram insultos no plenário. Um deles que chegou a ser governador do Estado, sacou uma pistola e atirou. A bala atingiu o retrato do então presidente Vargas pendurado na parede. Anos depois, Vargas morria com um tiro no peito.

3 - Na década de 70, um vereador ficou “preso” em casa, vigiado por colegas do seu grupo político, 24 horas, sem sair de casa antes da eleição da Mesa para evitar traição.

4 - No inicio dos anos 80, não houve disputa. Havia uma candidatura única de consenso. Mas quando abriram a urna, quem venceu foi outro que nem havia registrado nome.

5 - No final dos anos 80, um vereador dormiu presidente com 13 votos a seu favor e 6 para o adversário. Após uma ceia com seus eleitores, foi derrotado nas urnas na manhã seguinte. Teve 6 votos e o concorrente 13. Tudo isso, no tempo do voto secreto.

Vereador Jeová Alencar (PSDB)

SEM RETALIAÇÃO 1

Outro fato que a história mostra é que, quem perde nem sempre parte para a retaliação. Essa regra vale para o município e o Estado. Quando perdeu a eleição da Mesa em 1991, Heráclito Fortes nomeou a esposa do vereador vencedor para uma secretaria na prefeitura.

SEM RETALIAÇÃO 2

Depois de perder a eleição a Mesa da Assembleia em 2015, Wellington Dias (PT) aliou-se a Temístocles Filho (PMDB). Firmino sem dúvidas, não vai retaliar. Ele sabe que tudo tem seu tempo e este, não é o momento ideal para briga.

EXTINÇÃO DOS PARTIDOS

Ao menos nove partidos estão ameaçados de extinção. São eles: PMDB, PT, PP, PDT, PSD, PROS, PRB, PC do B e PR. Todos são acusados de abandonarem os princípios republicanos constitucionais e se transformarem em agremiações criminosas para roubar o erário.

QUEM ASSINA

A petição foi protocolada no TSE e tem como relator o ministro Napoleão Maia Nunes. Assinam o documento os advogados Modesto Souza Barros Carvalhosa, Laércio Laurelli e Luiz Carlos Crema. Aguardemos, pois, para ver até onde isso vai.

NOTAS & NÓTULAS

- Demorou, mas a Procuradoria da República pediu o bloqueio dos R$ 2 milhões que Lulinha tirou do povo brasileiro. Só esqueceram do juro.

- Sem retaliação, a eleição da Mesa da Câmara provocará mudanças no secretariado do prefeito Firmino Filho.

nossas redes sociais