O que significa o silêncio de João Vicente Claudino?

A única certeza até o agora é que o ex-senador será candidato em 2018 a um cargo majoritário e mais nada além disso

Por Douglas Cordeiro
26/07/2017, às 02:01 - Atualizado em 26/07/2017, às 02:58

O tempo passa, o tempo voa e até agora o ex-senador João Vicente Claudino não se pronunciou sobre seu futuro político. O que teremos para 2018? Só ele sabe. Aliás, talvez ainda não saiba. O que justifica seu recolhimento. Se for isso, o que será que tem gerado tanta dúvida na cabeça de João Vicente? Situação ou oposição? Wellington Dias ou Wilson Martins? A oposição tem bradado aos quatro cantos que o empresário será oposicionista. Só que o próprio, até agora, não disse nada. Por isso creio que, por enquanto, isso seja mais um desejo de quem marchará contra a reeleição de Wellington do que propriamente uma realidade. Mas se eles sabem de algo que não sabemos ainda aí é outra história.

O discurso da oposição é que o ex-senador foi traído em 2010. Traído? Vem cá, mas não foi o então vice-governador Wilson Martins que ao assumir o Governo não deixou outra possibilidade a não ser a candidatura dele próprio? Nada de errado. Afinal, quando o “cavalo selado” passa ou monta ou perde a viagem. Portanto, traição, não é bem a definição adequada para o que ocorreu naquela eleição. Quem sai do comando perde o poder de decisão. É assim, foi sempre assim e assim será.

Ex-senador João Vicente Claudino

Seguindo na linha do tempo da oposição, chegamos em 2012. Qual o argumento? A coligação que não se concretizou Elmano Férrer. O apoio não veio no primeiro turno mas chegou no segundo. O que não faltam são análises afirmando que, sem a candidatura do PT a Prefeitura de Teresina, nem haveria segundo turno.

Como se vê, os mesmos fatos são interpretados de diferentes maneiras e o que está em pauta agora é a eleição de 2018.

Alguns governistas afirmam que João Vicente tem vaga garantida na chapa majoritária e que Wellington Dias gostaria de ter o ex-senador ao seu lado. Além disso, dizem também que todas as condições para a eleição de JVC seriam mais favoráveis. É um nome com boa aceitação em todos os partidos da base aliada, inclusive o PT e não haveria nenhum obstáculo para uma composição, principalmente se ele confirmar sua volta ao PTB que é aliado de primeira hora do Governador e ocupa cargos importantes na administração do Estado.

O que tem de certo até o agora é que João Vicente Claudino será candidato e a um cargo majoritário. Esse é o retrato de momento. Lembrando que as conversas sobre formação de chapa estão andando a passos largos mesmo distante da eleição. É o processo natural aqui ou em qualquer lugar. Como é normal também que enquanto alguns pensam no que fazer outros já estão fazendo.

O fato é que tanto situação como oposição desejam o ex-senador em seus palanques. Levando em conta o cenário atual, um político que já ocupou diversos cargos na vida pública e na inciativa privada, sem nenhum envolvimento com qualquer ato que comprometesse sua biografia, vale ouro nos dias de hoje.

nossas redes sociais