Tenha medo dos amigos. Os inimigos você conhece

Articulação de bastidores, notinhas plantadas na imprensa e conversas em mesa de bar. O fogo se espalha em vários ambientes

Por Wesslley Sales
30/08/2017, às 17:10

Não é raro vermos alguém tentando puxar o tapete de outro dentro de um mesmo grupo político, normalmente em busca de cargos, dinheiro ou futura ascensão política. Isso é o chamado "Fogo Amigo", que sempre com sorriso no rosto e tapinha nas costas, pode de forma rápida ou em suaves prestações minar a força do seu alvo.

Um dos maiores exemplos disto foi a renúncia do então Presidente da República Getúlio Vargas, sugerida pelo seu próprio vice, Café Filho, que também prometeu deixar o cargo. Porém, ele já estava seduzido e em acordo com os militares. No fim, a história todos sabem: Getúlio suicida-se e Café Filho assume o poder até 1955.

Cuidado com o "Fogo Amigo"

No Piauí vivemos um exemplo clássico de "Fogo Amigo". Articulação de bastidores, notinhas plantadas na imprensa e conversas em mesa de bar. O fogo se espalha nos mais diversos ambientes. Para o "chefe" um exemplo de comportamento, dedicação e lealdade. Por trás, conchavos e "acordões" até com os adversários de que o colocou onde está. "O inimigo do meu inimigo é meu amigo". Só levando esta frase ao pé da letra para o "incendiário" os amigos não são verdadeiramente amigos. A prática é sorrateira. Ocorre sempre nas sombras. Nada de provas e tudo fica entre lábios a profetizar um futuro que ninguém conhece sequer o próximo milésimo de segundo. 

 “Deus me defende dos amigos, que dos inimigos me defendo eu” parafraseando Voltaire (1694-1778), filósofo iluminista francês e que serve como uma luva na política do Piauí.

Aguarde. em breve, o próximo capítulo dessa novela. 

nossas redes sociais