Governo precisa de habilidade para aprovar reforma na Assembleia

A orientação do Palácio de Karnak é prosseguir com as mensagens que são consenso e tentar costurar um acordo com a parte mais polêmica

Por EDITORIA DE POLÍTICA
27/02/2019, às 09:30 - Atualizado em 23/03/2019, às 01:21

A reforma administrativa que vai tramitar na Assembleia Legislativa não será mais difícil do que se imaginava. Nesta terça-feira, categorias de servidores públicos, aprovados em concursos e alunos da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), realizaram uma manifestação no parlamento estadual. Eles protestam contra a mensagem do governo que o congelamento do salário de servidores por um ano.

O assunto já é motivo de crítica dos parlamentares de oposição e também tem gerado preocupação dos deputados da base governista. A orientação do Palácio de Karnak é prosseguir com as mensagens que são consenso e tentar costurar um acordo com a parte mais polêmica.

Duas reuniões já foram feitas com a base governista, os parlamentares já foram orientados e os relatores de alguns pontos do projeto inclusive já foram definidos.

Mas o ponto central é que o governo do Estado está impedido pela Lei de Responsabilidade Fiscal e impedido, entre outras coisas, de conceder reajustes salariais. O motivo, segundo a equipe econômica do governo, não foi o aumento de despesa e sim a redução de receitas, principalmente a queda nos repasses federais que já virou uma rotina e um pesadelo para os estados brasileiros.

Os próximos dias vão ser decisivos para a tomada de decisão por parte do governo. Retirar a mensagem do congelamento de salário e aguardar um aumento de receita para sair da LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal) para negociar com as categorias um aumento possível ou manter a reforma integralmente e enfrentar uma difícil batalha para conseguir a aprovação. De um jeito ou de outro, todos precisam recuar um pouco das suas pretensões para que o consenso seja possível.

DE VOLTA

O Deputado Estadual Fábio Xavier encontra-se com o governador Wellington Dias nesta terça-feira (27/02). Um dos assuntos em pauta deve ser a sua volta para secretaria das Cidades. Assim, o PR abocanha duas pastas no governo já que o Deputado federal Fábio Abreu está confirmado na secretaria de Segurança.

CENAS DOS PRÓXIMOS CAPÍTULOS

E segue a indefinição sobre o futuro do PTB no Piauí. Paes Landim disse que fica no comando e Nerinho disse que assim não fica e a Janaínna vai junto. Mas a solução está próxima. Patiu Brasília.

DE OLHOS ABERTOS

O deputado Francisco Limma precisa abrir bem os olhos a partir de agora. Ele vai ter muita conversa pela frente para conseguir vencer a batalha da reforma administrativa na Assembleia Legislativa. Cuida Limma.

SURPRESAS? NEM TANTO

Francisco Costa e Franzé Silva, deputados de primeiro mandato, têm mostrado bom trânsito no parlamento estadual na defesa do governo. Apesar da falta de experiência no legislativo, os dois acumulam experiência no executivo que vai ser importante no apoio a tramitação das matérias do governo.

DE OLHO EM 2020

Aproveitando a viagem que fez a Brasília, o Deputado Estadual Georgiano Neto, após o encontro com o presidente Jair Bolsonaro, conversou com o Deputado Federal Fábio Abreu. Entre um projeto e outro, Georgiano está de olho no apoio do PR caso o partido não tenha candidato a prefeitura de Teresina.

E POR FALAR NISSO

Comenta-se que o PROGRESSISTAS e o PSDB bateram o martelo em relação ao nome que vai disputar o Palácio da Cidade em 2010. Será o professor Washington Bonfim. O ex-secretário de Firmino Filho representa bem a união dos dois partidos. Tucano de origem mas filiado ao partido do senador Ciro Nogueira.

  • Cabral redescobriu o Brasil : Dinheiro e poder se tornaram um vício, disse o ex-governador ao justificar propinas. Aliás, não escapa mais ninguém, ele citou atéarcebispo do Rio ao falar de esquema na saúde.
  • Sei que as tais reformas são determinantes. Também sei que muitas decisões dependem de aprovação do congresso, mas o povo anseia por algo que se faça sentir, de logo, em sua vida. Talvez aí se explique os números da aprovação do presidente.
  • Não vou negar: esperei, até aqui, o presidente Jair Bolsonaro reunir ministros de posições mais estratégicas, convocar rede nacional de Rádio e TV e lançar uma série de medidas impactantes, por decreto, que viessem a provocar claras mudanças, de imediato, para o povo. Fui o único?
  • Quase ponto pacífico a reedição da obrigatoriedade de cantar o Hino nacional nas escolas. Quase ponto de total divergência a filmagem dos alunos e entoar slogan de campanha.
  • O Brasil sendo Brasil : Comissões adiadas. O dito de que no Brasil tudo só começa depois do carnaval vai valer para a reforma da Previdência: a CCJ, por onde começa a tramitar a proposta na Câmara, como as outras comissões da Casa, só deve ser formada em março.

  • “Vitória da transparência! Antes que o projeto do PSB impusesse mais uma derrota ao governo, o presidente recuou. O famoso 'pediu pra sair'. Já nós seguimos em frente contra os absurdos!”, Deputado Federal Alessandro Molon, sobre a decisão do governo de recuar do projeto sobre sigilo de dados públicos.
  • “Agradeço a confiança do presidente Jair Bolsonaro que em concordância com os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia e do Senado, Davi Alcolumbre, me escolheu para liderar o governo no Congresso. O anúncio foi feito agora na reunião de líderes no Alvorada. Com união e alinhamento aprovaremos a Nova Previdência”, Deputada Federal Joice Hasselmann, nova líder do governo no Congresso.
  • "Sobre a Reforma da Previdência: 'algumas coisas são flagrantemente criminosas', Ex-ministro Ciro Gomes sobre a reforma da Previdência.
  • "Na sabatina do indicado à presidência do Banco Central, Roberto Campos Neto, questionei a meta da instituição para combater os juros abusivos cobrados pelos bancos. Não dá para a agiotagem informal ser mais competitiva", Senador Ângelo Coronel sobre a sabatina realizada com o novo presidente do Banco Central.

nossas redes sociais