Consultoria reavalia integração para melhorar o sistema em Teresina

Segundo secretário, o sistema tem avançado e as reclamações são sobre o transporte de passageiros dos bairros para as estações

Por Wesslley Sales
16/09/2019, às 09:00 - Atualizado em 20/09/2019, às 03:02

Nas últimas semanas a Prefeitura de Teresina tem sido bombardeada por causa de duas reclamações: o corredor exclusivo para ônibus na avenida principal do Bairro Dirceu Arcoverde e o próprio Sistema Inthegra. Para o secretário de Comunicação da PMT é preciso reconhecer os erros, dialogar e buscar soluções. Mas, voltar atrás não será o caminho a percorrer.

Comerciantes do Dirceu realizaram manifestação semana passada em protesto contra o corredor exclusivo que, segundo eles, não permite o estacionamento de clientes e, com isso, caíram as vendas. Fernando Said lembra que o corredor exclusivo na Zona Sudeste da capital foi estabelecido ainda em 2017.

“Naquela época a Prefeitura fez várias audiências públicas, manteve diálogo com comerciantes e moradores, toda uma articulação para as alterações na via pública. A prefeitura tomou algumas medidas solicitadas, como asfaltar as vias paralelas à avenida principal do Dirceu. Há diálogo permanente com os comerciantes. Tem um grupo que acha que houve redução na venda, o que para mim, pelo que temos conversado, não é verdade. Isso se dá pela crise econômica no país e não apenas em Teresina. É no Brasil todo. Temos que ter humildade para ver o que pode ser feito para minimizar o problema, mas retirar o corredor exclusivo acho impossível porque é feito para melhor o transporte público em bem à comunidade. No trânsito, se não fizermos nada, daqui a 10 anos não vamos conseguir andar em Teresina. 15 anos atrás tínhamos 120 mil veículos e hoje quase 500 mil e as ruas são as mesmas”, analisa.

Sobre o Inthegra, Said confirmou que uma consultoria está em andamento para identificar e apontar soluções para os problemas. Apesar disso, para ele, o sistema tem avançado e as reclamações são mais localizadas no transporte de passageiros dos bairros para as estações, uma deficiência, segundo o Secretário, muito mais das empresas que detém a concessão.

“O Inthegra tem muitos pecados e muitos erros, mas o sistema ainda não está concluído. Dos terminais para o centro não tem muita reclamação porque os ônibus são novos, com ar condicionado, trafegando no corredor exclusivo, bem asfaltado. Não tem reclamação. Mas, dos bairros para os terminais tem problema. Calçamento na maioria ainda é cabeça de jacaré e ruim, os ônibus não são novos e nem todos com ar condicionado, não estão passando em quantidade suficiente porque as empresas ainda são deficitárias e muito ruins. Os empresários ainda não evoluíram neste campo, embora estejam trabalhando e se qualificando. Estamos com uma consultoria de fora da cidade, que trabalhou nas cidades brasileiras e do exterior, e que fez o planejamento aqui, está de volta para uma reanálise do que está posto agora. Conversando com empresário, lideranças para ver qual erro para resolver o problema”, concluiu.

Fernando Said, secretário de Comunicação da PMT / Foto: Portal GP1

nossas redes sociais