Prefeitura é levada à Justiça por não fornecer água tratada no PI

Constatadas “diversas irregularidades nos poços” fiscalizados, a Prefeitura alegou problemas financeiros e desinteresse da Agespisa em assumir a concessão

Por Wesslley Sales
04/07/2019, às 09:00 - Atualizado em 04/07/2019, às 12:17

Quatro anos depois nada mudou. A população de pouco mais de 6 mil habitantes continua consumindo água sem nenhum tratamento. A constatação é do Ministério Público do Estado que voltou a pressionar a prefeitura de São João da Fronteira por uma solução, mas desta vez judicialmente.

A 2ª Promotoria de Piracuruca entrou nesta quarta-feira (03/06) com ação de execução de um Termo de Ajuste de Conduta firmado em 2015. Neste TAC, havia o compromisso do então prefeito Valdifrancis Mendes buscar meios de garantir a qualidade da água servida no município.

Constatadas “diversas irregularidades nos poços” fiscalizados por técnicos da Funasa, a Prefeitura alegou problemas financeiros e desinteresse da Agespisa em assumir a concessão do serviço de abastecimento de água. Na representação enviada à Justiça é cobrado cumprimento do TAC no prazo de 10 dias, sob pena de pagamento de multa diária de R$ 1 mil.

Ministério Público do Piauí

As informações são do Ministério Público do Piauí.

nossas redes sociais