Após fase difícil, mercado imobiliário aquece em Teresina

No primeiro semestre de 2019, o mercado imobiliário voltou a aquecer, iniciando um processo de recuperação da queda de vendas e aluguéis registrada no ano passado

Por Redação
25/09/2019, às 15:00 - Atualizado em 27/09/2019, às 17:42

No primeiro semestre de 2019, o mercado imobiliário voltou a aquecer em Teresina, iniciando um processo de recuperação da queda de vendas e aluguéis registrada no ano passado não só na capital piauiense, mas a nível nacional. 

Segundo dados oficiais da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), a recuperação já atinge cerca de 30% da normalidade de mercado. De acordo com o corretor José Patrício Rocha, a tendência é de que o mercado se recupere de forma gradual. 

“As reformas preparadas pelo governo federal, as iniciativas de liberação de crédito, os projetos que o governo proporciona à sociedade, tudo isso é levado em consideração na hora de se investir em algo, principalmente em imóveis, que sempre foram mais seguros e rentáveis em relação a outros investimentos”, declara.

Ainda segundo José Patrício, fatores como facilidades no financiamento da casa própria têm contribuído para o reaquecimento do mercado imobiliário, superando um período de instabilidade política e financeira enfrentado pelo Brasil nos últimos anos. 

“São baixas significativas do plano de governo no que diz respeito às prestações para adquirir a casa própria, e isso faz com que o dinheiro volte a girar no mercado”, completa.

Informações do Sindicato das Indústrias de Construção Civil de Teresina (Sinduscon) mostram que, nos últimos 10 anos, nunca houve um volume tão grande de dinheiro sendo emprestado para habitação e com taxas adequadas, o que favorece o aquecimento do mercado e possibilita que mais pessoas realizem o sonho da casa própria.

O Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) aponta que este crescimento nos índices significa o fim de um biênio de crise. Crescimento alcançado pelo controle da inflação, que contribuiu para que as taxas de crédito se aproximassem do menor patamar da história.

José Patrício se mostra otimista e acredita que o mercado no setor imobiliário continue se reorganizando gradualmente, atingindo índices ainda melhores durante o segundo semestre deste ano. 

“O mercado está se reerguendo e as perspectivas são boas, graças às facilidades de crédito que têm sido proporcionadas pelo atual governo. Todo mundo sonha em ter uma casa própria, e justamente por este motivo o mercado imobiliário se configura como um dos setores onde há maior investimento, principalmente quando as condições são favoráveis”, finaliza.

José Patrício Rocha

nossas redes sociais