Cepisa e Águas de Teresina usam escolta em bairros da capital

Os moradores reclamam da falta de policiamento na área e também da falta de iluminação pública que, segundo eles, contribui para a violência

Por Ravi Marques
12/08/2019, às 14:20 - Atualizado em 12/08/2019, às 17:31

Moradores dos conjuntos Dilma Rousseff, Edgar Gayoso e Padre Humberto, na região da Santa Maria da Codipi, Zona Norte de Teresina, estão assustados com os inúmeros assaltos na área. Até a presidente da associação de moradores do Dilma Rousseff foi assaltada.

"Eu passava de moto aqui na esquina quantos os bandidos mandaram eu parar e entregar o celular. Eu tive que entregar pra não ser agredida. Aqui está muito perigoso", disse Sandra Freitas, presidente da associação de moradores do Dilma Rousseff.

A esquina que Sandra se refere é conhecida como a "esquina dos assaltos". O trecho dá acesso a outros dois conjuntos: o Edgar Gayoso e Padre Humberto. No local o senhor Manoel Landim também já foi vítima de bandidos.

"Sou transplantado, tenho várias deficiências, mas tenho que me virar pra sobreviver. Aí quando a gente passa aqui é assaltado. Parece até que os ladrões sabem da nossa rotina", disse o aposentado.

Os moradores reclamam da falta de policiamento na área e também da falta de iluminação pública que, segundo eles, contribui para a violência.

"Aqui não tem poste, não tem iluminação. Não temos nada. Os bandidos atacam a gente toda hora, principalmente a noite. Eles invadem as casas. As mães saem para buscas os filhos na escola e quando voltam a casa tá arrombada. Até os funcionários da Águas de Teresina e Cepisa quando chegam aqui para entregar os talões, entram com seguranças ou com a polícia", falou Graça Santos, moradora do Dilma Roussef.

O portal Douglas Cordeiro tentou contato com a Secretaria de Segurança Pública do Piauí, mas até o fechamento desta reportagem não conseguimos ser atendidos.

Esquina dos assaltos

nossas redes sociais