Mortes violentas caem na capital e crescem no interior do Piauí

Em relação aos feminicídio, em 2019 foram 23 mulheres assassinadas no interior, em 2018 morreram 17, aumento de 7,69%

13 de janeiro de 2020, às 13:30 | Ravi Marques

O relatório da criminalidade de 2019 foi apresentado para a força policial na sede da Academia de Polícia do Piauí na manhã desta segunda-feira (13/01). O que chamou a atenção foi a redução de crimes violentos em Teresina em 26% em relação a 2018. As zonas norte e leste lideram nesse quesito. No geral, 94% das vítimas são homens e 73% dos crimes foram com uso de arma de fogo.

O interior do Piauí foi violento no ano passado, o índice de homicídio aumentou em 16%. Parnaíba foi a cidade com o maior índice de morte violenta, seguida de Piripiri, Cocal e Esperantina, todas no norte do Piauí.

Em relação aos feminicídio, em 2019 foram 23 mulheres assassinadas no interior, em 2018 morreram 17, aumento de 7,69%, já na capital houve redução de 44%, com 9 mulheres mortas em 2018 contra 5 no ano passado.

Pela Polinter, no ano passado foram recuperados 2.439 veículos, 735 pessoas presas, 7 operações e 12 mil pessoas atendidas. Já a delegacia de entorpecentes prendeu 453 pessoas suspeitas por tráfico de drogas, 81 veículos foram apreendidos, quase 137 mil reais apreendidos e 1230 quilos de drogas tiradas de circulação.

"Todos esses números são fruto de um intenso trabalho das polícias do estado. O que queremos neste ano de 2020 é diminuir ainda mais os números da violência e aperfeiçoar nosso trabalho", disse o secretário de segurança pública, Fábio Abreu.

No encontro foram apresentas também as perspectivas da segurança pública para 2020. São armamentos novos, concursos para delegados, agentes e policiais militares. Além disso, o que deve voltar a prática são as câmeras de segurança espalhadas por Teresina, que já estão instaladas, mas não funcionam há mais de um ano.

Divulgação dos dados


Coluna Passando a Régua

REDES SOCIAIS