Governo entrega pedido de empréstimo na Assembleia do Piauí

O montante total solicitado chega a 3,4 bilhões de reais, os quatro créditos servirão para substituição de dívida e investimentos nas áreas de infraestrutura e segurança pública

Por Tarcio Cruz
10/09/2019, às 16:48

Os secretários de governo, Osmar Júnior, e de Planejamento, Antônio Neto, apresentaram na manhã desta terça-feira (10/09) quatro mensagens de solicitação de crédito a Assembleia Legislativa do Piauí. O montante total solicitado chega a 3,4 bilhões de reais, os quatro créditos servirão para substituição de dívida e investimentos nas áreas de infraestrutura e segurança pública. 

Insatisfeita com a contração de mais operações de crédito a oposição protestou e pediu cortes na administração estadual. Dentro do cronograma do governo até o mês de outubro as mensagens devem ser aprovadas no legislativo. Antônio Neto explicou detalhadamente as operações de crédito que foram apresentadas através das mensagens. 

“São quatro operações de crédito, uma de um bilhão e meio de reais, essa é para obras de infraestrutura com recurso do banco múltiplo plural, de São Paulo, e a outra operação com o mesmo banco é uma reestruturação da dívida, essa não tem recurso, é uma troca de dívida. Tem 1,2 bilhão hoje que estão no nosso passivo, com dívida de curto prazo com taxa de juro maior, elas serão trocadas por essa com a taxa melhor e um prazo mais alongado”, esclareceu o secretário.

O gestor ainda revelou detalhes das outras duas operações que serão analisadas pelo legislativo. 

“A outra é uma de até 115 milhões de dólares com o FIDA e o BID, essa é voltada para construção de barragens para proteção das matas ciliares especialmente para preservação dos rios Canindé e Piauí, na região do semiárido, uma obra de meio ambiente, outra parte desse empréstimo será voltado para regularização fundiária daquelas regiões. Uma outra operação mais recente, são 100 milhões de reais junto ao Banco do Brasil, para a compra de equipamentos para a tecnologia da Polícia Militar, para o Corpo de Bombeiros e para a Secretaria de Segurança, todos voltados para esse propósito”, concluiu Antônio Neto.

Os deputados de oposição participaram da reunião com os secretários e criticaram a medida apresentada pelo governo estadual. Marden Menezes (PSDB) cobrou mais rigor da administração estadual e advertiu para o aumento da dívida pública. 

“A nossa postura será de responsabilidade para fiscalizar as matérias. Esses recursos pesarão na dívida pública do estado, quem paga essa conta é a população. O governo não demonstra a intenção de cortar as despesas e reduzir gastos, o estado só consegue investir com dinheiro emprestado. Temos que ter a responsabilidade de cobrar do poder pública a sua parte nesse processe que é cortar gastos”, disse o deputado de oposição.

Entrega do pedido de empréstimo

nossas redes sociais