Indenização para criminoso vai para as vítimas em Castelo do PI

Na Ação de Reparação de Danos com Pedido de Tutela de Urgência, as famílias das vítimas ingressaram com ação pedindo que este valor seja transferido para as vítimas do crime

Por Ravi Marques
14/08/2019, às 16:29

A indenização que seria paga pelo Governo do Piauí para a família do menor infrator Gleison Vieira da Silva foi convertida para as vitimas e seus familiares do estupro coletivo e homicídio que aconteceu em maio de 2015 na cidade de Castelo do Piauí, região Norte do Piauí. A decisão é do juiz Leonardo Brasileiro, titular da Vara Única da comarca de Castelo do Piauí.

Gleison, o adolescente envolvido no estupro coletivo, foi morto dentro do Centro Educacional Masculino (CEM) em Teresina, quando cumpria medida sócio-educativa por causa da participação no crime. Por causa disso, o Estado foi condenado a pagar R$ 60 mil à família de Gleison.

Na Ação de Reparação de Danos com Pedido de Tutela de Urgência, as famílias das vítimas ingressaram com ação pedindo que este valor seja transferido para as vítimas do crime.

Na época do crime quatro adolescentes foram vítimas de estupro e espancamento, e encontradas desacordadas em matagal da cidade. Elas foram levadas para o HUT (Hospital de Urgência de Teresina), onde ficaram internadas. Uma das vítimas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Dias após o estupro coletivo quatro adolescentes foram apreendidos, entre eles o Gleison, assassinado no CEM pelos colegas de cela, os mesmos que participaram do crime em Castelo do Piauí. A causa do assassinado seria porque Gleison fez delação premiada sobre o caso. O único adulto envolvido no crime, Adão de Sousa, de 43 anos, foi condenado a mais de 100 anos de prisão.

Juiz Leonardo Brasileiro / Foto: G1

nossas redes sociais