Julgamento em Teresina condena acusado de matar Lara Fernandes

A vítima estava tentando afastar-se de Eduardo Pessoa por considerá-lo ciumento e violento. Eduardo não aceitava o término da relação e fazia ameaças e até a agredia fisicamente

Por Plínio Castelo
16/10/2019, às 10:00

Eduardo Pessoa Araújo foi condenado a 18 anos e 11 meses de prisão, em regime fechado, após julgamento ocorrido na 2ª Vara do Tribunal Popular do Júri de Teresina.

Ele foi considerado culpado pela morte de Lara Fernandes, 23 anos, assassinada com um tiro na cabeça, no Rio Parnaíba, em novembro de 2018.

O defensor do réu, Jeiko Leal, usou a tese de que o crime teria sido cometido por uma terceira pessoa.

De acordo com a denúncia, as investigações apuraram que a vítima possuía um relacionamento amoroso extraconjugal que durou quatro anos. A vítima estava tentando afastar-se de Eduardo Pessoa por considerá-lo ciumento e violento. Eduardo não aceitava o término da relação e fazia ameaças e até a agredia fisicamente.

Depoimentos que constam no inquérito policial, afirmam que na noite anterior ao crime Eduardo Pessoa foi ate a casa onde a vítima estava hospedada e ficaram conversando dentro do carro. Poco tempo depois, os dois saíram e no dia seguinte o corpo de Lara foi encontrado no Rio Parnaíba com um tiro na cabeça.

Lara Fernandes / Foto: Facebook

nossas redes sociais