Operação Dictum: 13 policiais presos recebem habeas corpus no PI

Sobre a soltura dos policiais, os advogados alegaram excesso de prazo da prisão preventiva e constrangimento ilegal

Por Ravi Marques
01/04/2020, às 13:45

Policiais Militares e Civil foram beneficiados com habeas corpus concedido pelo desembargador Erivan Lopes, do Tribunal de Justiça do Piauí, no total são 13 militares e 1 agente de polícia civil. Todos foram presos em dezembro de 2019 na operação DICTUM, deflagrada pelo GRECO (Grupo de Repressão ao Crime Organizado).

Os policiais foram presos acusados de crimes como roubo de cargas, trágico de drogas, extorsão e pistolagem. Nesse último, o bando é acusado de cobrar até R$ 30 mil para cometer o crime. Segundo a denúncia, o líder da quadrilha é o Cabo Wanderley Rodrigues da Silva, conhecido como W. Silva. Na época do assalto ao Banco do Nordeste, na Avenida João XXIII, em 2017, W. Silva foi acusado de sumir com R$ 300 mil em dinheiro.

O PM também participou de uma briga dentro de uma padaria da zona leste de Teresina com o cantor Saulo Dugado, que foi baleado por ele após ter agredido verbalmente a funcionária do estabelecimento.

Sobre a soltura dos policiais, os advogados alegaram excesso de prazo da prisão preventiva e constrangimento ilegal. O procurador do Ministério Público, Aristides Pinheiro, deu parecer contra a soltura. Na época as corregedorias da Polícia Militar e da Polícia Civil abriram procedimento para avaliar a permanência dos policiais na corporação. Até agora nenhum dos processos foi concluído. No momento, os prazos processuais estão suspensos por determinação da judicial.

Habeas Corpus foi concedido pelo desembargador Erivan Lopes

nossas redes sociais