Polícia aguarda laudo sobre morte de radiologista em Teresina

O PM, acusado do crime, foi preso e levado para a Central de Flagrantes, mas após audiência de custódia foi liberado pela justiça e teve o porte de arma suspenso

10 de dezembro de 2019, às 10:00 | Ravi Marques

O 9° Distrito Policial, do Bairro Mocambinho, passa a investigar a morte do técnico em radiologia Rudson Vieira Batista como homicídio. A vítima estava internada em um hospital particular desde o dia primeiro de dezembro e faleceu no último sábado (06/12) após ser baleado em um bar, no Bairro Buenos Aires, Zona Norte de Teresina.

A Polícia Civil aguarda agora o laudo cadavérico feito de Rudson pelo Instituto Médico Legal (IML) para concluir o inquérito. Já prestaram depoimento várias testemunhas, inclusive o dono do bar e dois seguranças. O delegado solicitou perícia nas câmeras de segurança do estabelecimento que podem ter gravado o crime.

Segundo as investigações, o principal suspeito pelo homicídio é o policial militar Max Kellysson Marques Marreiro. Ele estava de folga no bar quando se envolveu em uma discussão com a vítima e durante a briga o PM atirou com uma pistola ponto 40 em Rudson. O suspeito ficou no bar até a chegada da polícia. O PM foi preso e levado para a Central de Flagrantes, mas após audiência de custódia foi liberado pela justiça e teve o porte de arma suspenso.

"Tenho parentes policiais, mas infelizmente tem gente que não merece usar a farda da Polícia Militar, que é muito importante e respeitada. Ele tirou a vida do meu irmão, nossa família está arrasada, só queremos justiça", disse o irmão da vítima, João Neto.

Enquanto estava internado Rudson chegou a gravar um áudio para a família falando sobre sua recuperação.

“Estou me recuperando aos poucos. Fé em Deus, vai dar tudo certo. Logo lgo, estamos juntos”, disse o técnico.

O 9º DP vai investigar o caso / Foto: Portal 180 Graus


Coluna Passando a Régua

REDES SOCIAIS