Presos suspeitos de tentar arrombar banco no PI; tinham R$ 500 mil

No primeiro caso, do Banco do Brasil, a Polícia Militar recebeu uma denúncia de três homens dentro da agência em atitude suspeita

Por Ravi Marques
01/05/2020, às 14:56

Cinco homens foram presos na cidade de União, região metropolitana de Teresina, na madrugada desta sexta-feira (01/05). Três deles estariam planejando um possível ataque à agência do Banco do Brasil do município. Os outros dois foram presos por estarem transportando um volume alto de dinheiro sem ser declarado. Todos os envolvidos foram encaminhados para a Central de Flagrantes de Teresina.

No primeiro caso, do Banco do Brasil, a Polícia Militar recebeu uma denúncia de três homens dentro da agência em atitude suspeita. Uma equipe da Rone foi até a cidade e ao chegar na agência não encontrou os suspeitos, mas dentro do estabelecimento estavam vários produtos que são usados em arrombamento, como furadeiras, martelos, além de coletes à prova de balas. O cofre do banco não foi violado, da mesma forma os caixas eletrônicos. PM resolveu montar barreiras nas entradas de União e conseguiu localizar os três homens suspeitos.

Na mesma barreira a polícia parou uma camionete com dois homens. Dentro do veículo tinham vários pacotes com dinheiro, num total de meio milhão de reais, não declarados. Os homens chegaram a falar que o dinheiro era pra ser entregue na prefeitura de União. Os homens foram presos, o dinheiro e o carro  apreendidos.

"De início não identificamos relação entre os três homens presos pela atitude suspeita no banco com os dois indivíduos com o dinheiro. Levamos os cinco para a Central de Flagrantes. Os três primeiros ficaram calados e os outros dois pediram apenas para serem levados para a Central de Flagrantes e exigiram um advogado. O dinheiro não é do banco", disse o capitão Tanaka Hitler, comandante da RONE.

A Polícia Civil vai investigar agora o que os três homens queriam no banco. No segundo caso, a investigação vai tentar descobrir a origem do dinheiro e o destino.

"Sou de São Paulo. A gente veio do Ceará e o dinheiro levado pra prefeitura daqui (União). O carro é daqui também", disse um dos suspeitos.

Material apreendido

nossas redes sociais