Secretário de Educação de União é exonerado após prisão pela PF-PI

O afastamento foi determinado pelo prefeito de União, Paulo Henrique. Um vereador da cidade também foi preso

Por Ravi Marques
12/05/2020, às 15:40

O secretário Municipal de Educação de União (PI), Marcone Martins, foi exenorado do cargo após ser preso pela Polícia Federal na manhã desta terça-feira (12/05), acusado de desvio de dinheiro federal para a educação da cidade. O gestor era um dos cinco investigados na operação Delivery, aconteceu em União, Teresina e Fortaleza (CE).

Também foi afastados da pasta o motorista do secretário, que segundo a investigação, faz parte do esquema criminoso de Marcone Martins. O motorista, que não teve o nome divulgado, estaria transportando R$ 370 mil que foram apreendidos pela polícia militar em abril de 2020, em uma barreira. O afastamento foi determinado pelo prefeito de União, Paulo Henrique. Um vereador da cidade também foi preso.

Operação Delivery

NOTA DA PREFEITURA DE UNIÃO

A Prefeitura de Uniao, face a operação realizada no início desta manhã (12), pela Polícia Federal, denominada “Delivery”, onde foram cumpridos mandados de prisão, busca e condução  coercitiva, sob acusação de desvio de recursos do FUNDEB em nosso município, vem informar que ainda ontem (11), por ordem do prefeito Paulo Henrique, exonerou o então secretário de Educação do município, Marcone Martins, em virtude do mesmo ter se tornado o alvo principal de denúncias de desvio de recursos, originários, supostamente, de licitação e compra de material didático, justamente para que o mesmo se apresentasse às autoridades policiais e judiciais e apresentasse sua defesa. 

Quanto às prisões, a Prefeitura lamenta o ocorrido e espera que todos os fatos sejam devidamente esclarecidos. O prefeito Paulo Henrique orientou toda a sua equipe a se colocar a disposição das autoridades e se antecipar a prestar esclarecimentos sobre todos os demais atos licitatórios realizados no município. Ainda ontem (11), também foi instituída uma comissão gestora, com poderes de supervisionar todos os atos ordenadores de despesas do erário público, com objetivo de identificar eventuais falhas e corrigi-las. 

Ao tempo em que lamentamos o episódio desta manhã, pedimos a imprensa e população de União que tratem o fato com a seriedade e cuidado que merece, sem a antecipação de condenação de quaisquer pessoas, permitindo o uso político de forma inescrupulosa.

Sem mais para o momento.

VEJA MATÉRIA SOBRE O ASSUNTO

PF-PI prende empresários, funcionários públicos e vereador em União

nossas redes sociais