STJ garante R$ 400 mil a caseiro do PI que teve sigilo quebrado

O sigilo bancário de Francenildo foi violado após ele dizer à CPI dos Bingos que Palocci se encontrava com lobistas em uma mansão localizada em uma área nobre de Brasília

Por Wesslley Sales
14/03/2019, às 08:35

O caseiro piauiense que teve o sigilo bancário quebrado no escândalo envolvendo o ex-ministro Antônio Palocci vai receber R$ 400 mil de indenização da Caixa Econômica. A decisão foi confirmada pela terceira turma do Superior Tribunal de Justiça.

Em 2006, Francenildo dos Santos Costa, que era caseiro em um sítio, denunciou um esquema de corrupção que custou a perda do Ministério da Fazenda a Antônio Palocci. No episódio,  a Caixa Econômica Federal quebrou o sigilo bancário sem ordem judicial para fornecer informações ao petista.

O sigilo bancário de Francenildo foi violado após ele dizer à CPI dos Bingos que Palocci se encontrava com lobistas em uma mansão localizada em uma área nobre de Brasília. Em seguida às declarações, a revista Época publicou que o caseiro havia recebido R$ 38 mil em sua conta, dinheiro que foi depositado por seu pai.

Em 2015 o Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) já havia dado ganho de causa e confirmada a indenização de R$ 400 mil para Francenildo, valor agora ratificado pelo STJ.

Francenildo dos Santos / Foto: Veja

nossas redes sociais