Enzo Samuel fica na base de Firmino e faz as contas para reeleição

Com o fim da coligação proporcional o PC do B precisará de pelo menos 15 mil votos para eleger um vereador

Por Wesslley Sales
26/08/2019, às 09:00

Foram apenas 2.594 votos na eleição de 2016, tornando-se o 43º candidato na disputa por uma vaga na Câmara Municipal de Teresina. Mas, foi o suficiente para Enzo Samuel assumir o mandado. O motivo, a coligação do PC do B com o PT do B garantiu o chamado Quociente Partidário. Para 2020, isso acaba e é preciso fazer contas para a reeleição.

Com o fim da coligação proporcional o PC do B precisará de pelo menos 15 mil votos para eleger um vereador. Será preciso montar uma chapa forte e, nomes para isso existem e foram testados na última eleição. Isadora Cortez, foi candidata a Deputado Federal com 9.689 votos e Floro Mauel a Deputado Estadual com 7.249 votos.

“As regras eleitorais foram mudadas e por isso concentramos esforços em filiar militantes para montar uma chapa competitiva. Estamos convidando lideranças sindicais e sociais, além de suplentes para termos os números na ponta do lápis. Primeiro chegar a 15 mil votos e até pensando em ampliar a bancada com mais 10 mil votos”, analisa Enzo Samuel.

Ainda de olho nas contas que precisa fazer para renovar o mandado, Enzo Samuel se diz à vontade no PC do B, mas deixa em aberto a possibilidade de trocar de partido. De certo tem sua determinação em manter a sigla na base aliada do Prefeito Firmino Filho.

“Vou trabalhar na base do partido para continuar este apoio a Firmino. Agora, meu objetivo é disputar a reeleição pelo PC do B, mas o futuro a Deus pertence. O Osmar Júnior sempre foi um camarada muito franco comigo. Estamos sempre dialogando sobre a montagem da chapa, então creio que chegaremos a um ponto em comum”, concluiu.

Vereador de Teresina, Enzo Samuel / Foto: Portal GP1

nossas redes sociais