PORTAL DOUGLASCORDEIRO.COM

Fábio Abreu fala sobre falta de combustível, viaturas e tecnologia

O secretário de Segurança falou sobre as prioridades para esta sua segunda gestão que tem como meta principal a reestruturação das policiais Civil, Militar e Corpo de Bombeiros

Por Douglas Cordeiro
29/04/2019, às 11:04

Falta de combustível em viaturas e veículos sob ameaça de serem “tomados” pelas empresas de locação. Desde o final do ano passado essas são algumas das informações que circularam em parte da imprensa e nas redes sociais. 

Sem jogar os problemas para debaixo do tapete, o secretário de Segurança, Fábio Abreu, falou com o Portal Douglas Cordeiro sobre as prioridades para esta sua segunda gestão que tem como meta principal a reestruturação das policiais Civil, Militar e Corpo de Bombeiros.

Portal Douglas Cordeiro - Secretário, foram muitas as reclamações sobre falta de combustível e a precária situação das viaturas no Piauí. Como enfrentar este problema?

Fábio Abreu - Foi esse pedido que fiz no meu último encontro com o Governador, prioridade para reestruturar as policiais e os Bombeiros. Buscamos com ele entendimento do empréstimo junto ao Banco do Brasil para que venha R$ 100 milhões. A maior parte será para equipamento. Por isso, afirmo que até o final do ano queremos estar com todos os nossos aparelhos necessários ao policial renovados em todo o Estado, desde viaturas a armamentos. Agora, o que mais me irrita na administração pública brasileira é a burocracia, um dos maiores males deste país. Quando assumi a Secretaria cansei de ouvir do Governo Federal que o Piauí não tinha projeto. Montamos uma equipe e digo que para cada recurso do Fundo Nacional de Segurança Pública eu mostro um projeto licitado, exatamente para dar celeridade maior.

DC – Esse empréstimo será a única fonte de recursos para o reaparelhamento.

FA - Infelizmente o Governo Federal contingenciou 50% das emendas de bancada, isso significa que teremos pouco mais de R$ 5 milhões para Segurança Pública. Lamentavelmente apenas eu destinei emendas para Segurança Pública. Coloquei R$ 1.7 milhão para compra de novas viaturas, que deve acontecer até o final de maio. Além disso, devemos ter um repasse de pouco mais de R$ 6 milhões do Governo Federal. Com isso, queremos que até o final deste ano todas as delegacias e GPMs do Estado possam ter viaturas novas, principalmente para o interior. Outro foco é a reforma, ampliação e até mesmo a construção de novos Centros Integrados de Segurança Pública, como inaugurada este ano em Elesbão Veloso. Estas são algumas das ações previstas inclusive no nosso Plano Estadual de Segurança Pública.

Secretário de Segurança, Fábio Abreu / Foto: GP1

DC - E essas reclamações de falta de combustível?

FA - Essa é nossa prioridade número um. Primeira coisa que fiz foi conversar com o Secretário de Planejamento, Antônio Neto. Porque dentro da parte burocrática tem o orçamento e fui buscar. Conseguimos aprovar. Conversei depois com o Secretario Rafael (Rafael Fonteles, Secretário de Fazenda) sobre priorizar combustível, manutenção e renovação da frota. Então, estaremos atentos para que não tenhamos problemas deste tipo.

DC - O Senhor iniciou uma série de modernizações das ações policiais, preventivas principalmente, através de aplicativos. O Salve Maria, por exemplo, hoje é referência e copiado por vários Estados. Agora, a Polícia Militar inicia o treinamento com um novo sistema mobile. Como funciona e qual objetivo?

FA - Aplicativo: unificação banco de dados das policiais, agilidade, resolve problema onde não existe delegados, população não precisa se deslocar. É um sistema implantado em Santa Catarina e Rondônia. Rondônia tem sido grande parceiro nosso. O Piauí é pioneiro nesta tecnologia embarcada. Tablets estão sendo entregues aos nossos policiais, que passam por capacitação para estar nas ruas com o equipamento. Por exemplo, o Delegado Willame (Willame Moraes, coordenador da DICAP) tá na Divisão de Capturas, dando cumprimento aos mandados de prisão em aberto, na faixa de 5 mil. Uma hora ou outra um PM faz abordagem a um indivíduo e, com este aplicativo, terá como identificar o suspeito. Digita o nome da pessoa e terá informações necessárias, podendo até mesmo dar cumprimento imediatamente a mandado se este for o caso. No futuro, poderemos até mesmo fazer o reconhecimento facial. Esse sistema mobile, permitir grande avanço principalmente no interior. Não queremos pessoas se deslocando grandes distâncias, como de Morro Cabeça no Tempo para Corrente, apenas para registar TCO ou BO de perda de documento. Isso poderá ser feito em sua cidade pelo PM. Beneficia também a Polícia Civil que vai ter a responsabilidade de fazer as investigações maiores, tirando a sobrecarga de registros mais simples como a perda de documentos. Os resultados serão melhores para todos. Lembrando que BO e TCO também podem continuar sendo feitos pelo agente de Polícia Civil. É um grande avanço, através também de parceria com o Ministério Público do Trabalho. Nesta primeira etapa implantamos em Teresina e a região Norte, mas ainda este ano queremos levar para todo o Estado.

DC - Quando aqueles pequenos crimes que incomodam a população, como o roubo de celulares. É possível fazer um enfrentamento mais forte, já que este é o tipo de crime que engrossa as estatísticas?

FA - Vamos criar um banco de dados com os celulares. Estamos criando um sistema neste sentido. A ideia é que com este banco de dados, construído a partir do registro da ocorrência, possamos fazer o rastreio do aparelho com mais rapidez e precisão. Agora, fica um aviso. Este tipo de crime só existe porque tem quem compre o produto roubado e isso é crime de receptação. Portando, quem quiser comprar um celular roubado terá que arcar com isso, porque vamos chegar até ele e será enquadrado por receptação. Se tiver que compra um celular pode checar no banco de dados se há restrição por roubo. Mesmo assim, se insistir em comprar achando que não vai dar em nada, cuidado, vamos chegar aos receptadores.

nossas redes sociais