Lobão aprova audiência sobre falta de insulinas na Farmácia do Povo

O vereador apresentou requerimento solicitando, em caráter de urgência, explicações dos responsáveis pela Farmácia e Secretaria de Estado de Saúde do Piauí

12 de dezembro de 2019, às 11:30 | Redação

A Farmácia do Povo está há 15 dias sem fornecer insulina Lantus para os diabéticos. A informação é da Associação dos Diabéticos do Piauí (ADIP). Essa não é a primeira vez que acontece este ano a descontinuidade da dispensação de medicamentos para diabéticos no Estado. Para tratar desta problemática, o vereador Luiz Lobão apresentou requerimento na Câmara de Vereadores solicitando em caráter de urgência uma audiência pública com os responsáveis pela Farmácia e Secretaria de Estado de Saúde do Piauí (SESAPI).

Segundo dados da ADIP a dispensação de medicamentos para diabéticos é amparada pela Lei estadual Nº 6.623/2014, mas que esta Lei vem sendo continuamente descumprida pela gestão estadual.

“Os diabéticos já tinham passado 35 dias sem insulinas. A gestão disponibilizou em 24 de novembro as insulinas Lantus, adquiridas por meio de parceria com outros estados. Segundo a Sesapi, foram adquiridas 3 mil unidades de Lantus, mas após nove dias, o quantitativo que era para um mês, acabou. Portanto, estamos solicitando uma audiência pública para que seja explicada essa dispensação e como está o planejamento para a aquisição dos medicamentos voltados para os diabéticos, pois esta descontinuidade tem causado muitos problemas”, afirmou o vereador Luiz Lobão.

Luiz Lobão acrescenta que esta falta de medicamento é um grave problema, tendo em vista que a diabetes descompensada pode levar a várias complicações e até à morte. 

“A falta de medicamentos faz com que as pessoas fiquem mais vulneráveis a determinadas patologias como neuropatia diabética, problemas vasculares, lesão nos rins, lesão cerebral, cegueira, amputação de órgãos, e os medicamentos são importantes e não podem faltar na farmácia. Faço apelo ao secretário de Saúde para que tenha um compromisso com esses pacientes, que precisam e que suas vidas dependem desses medicamentos. Insulina é um medicamento caro e inacessível para grande parte da população”, destacou.

Vereador de Teresina, Luiz Lobão (MDB)


Coluna Passando a Régua

REDES SOCIAIS