Ministério libera 3,2 milhões para barragens de alto risco no PI

Estas barragens são de responsabilidade do DNOCS e da CODEVASF. O plano para reabilitação do Governo Federal é o mais arrojado de proteção e de recuperação dos últimos tempos

Por Wesslley Sales
08/02/2019, às 09:30

As barragens de Piaus (São Julião), Marrecas (Lagoa dos Peixes, em São João do Piauí), Caraíbas (Massapé do Piauí), Emparedado (em Campo Maior) e do açude Caldeirão (em Piripiri) são apontadas em relatório do Ministério do Desenvolvimento Regional em situação de risco e dano potencial.

A informação é do deputado Federal Júlio César (PSD) que esteve reunido com técnicos do Ministério. O parlamentar confirmou que para estas cinco barragens está previsto a liberação de R$ 3,28 milhões para obras emergenciais.

O açude Caldeirão, por exemplo, aparece no relatório em situação A, o que é considerado alto risco. Estas cinco barragens são de responsabilidade do DNOCS e da CODEVASF.

“Essas são as barragens em situação de maior risco, segundo o Governo Federal e passarão por um projeto de reabilitação. O Ministério ainda vai buscar recursos. O plano de ações para reabilitação de barragens do Governo Federal é o projeto mais arrojado de proteção e de recuperação de barragens dos últimos tempos. A situação do Nordeste é ainda mais caótica””, informou o deputado federal Júlio César.

Os custos, apontados pelo Ministério do Desenvolvimento Regional para implementação de ações de reabilitação, seriam: R$ 480 mil para Marrecas; R$ 500 mil para Caraíbas; R$ 540 mil para Emparedado. As barragens de Piaus teria R$ 740 mil e Caldeirão R$ 1,03 milhão para ações emergenciais.

Deputado Federal Júlio César

nossas redes sociais