Prorrogação mantém cerca de R$ 22 milhões para o Piauí em 2019

Os recursos chamados "Restos a Pagar" são despesas empenhadas, mas não pagas até 31 de dezembro de cada ano

Por Wesslley Sales
02/07/2019, às 14:00

O Presidente da Fundespi, Cleminton Queiroz, comemorou o anúncio do Senador Marcelo Castro (MDB) sobre a prorrogação da execução de recursos do Governo Federal do chamado restos a pagar. O Piauí corria o risco de perder em torno de R$ 20 milhões, uma vez que o prazo para licitações encerraria neste dia 20 de junho.

“Era um dinheiro que corríamos o risco de perder, mas conseguimos a prorrogação para executar até novembro. Só para a Fundespi são R$ 18 milhões para investimento em infraestrutura e equipamentos. Agora, é fazer a licitação porque o dinheiro está assegurado”, explica Marcelo Castro.

Os recursos chamados "Restos a Pagar" são despesas empenhadas, mas não pagas até 31 de dezembro de cada ano. Na prática, são parte da despesa do Orçamento Geral da União que permanece pendente de pagamento após o fim do exercício.

Senador Marcelo Castro

nossas redes sociais