"Candidatos a vereador buscam siglas menores", diz Edson Melo

O PSDB, que já teve seis vereadores e hoje conta com apenas dois vive um drama, o desinteresse de lideranças consideradas de maior potencial eleitoral

Por Wesslley Sales
19/04/2019, às 15:00 - Atualizado em 21/04/2019, às 10:53

Enquanto o Prefeito Firmino Filho se articula em rodas de visitas e conversas com lideranças e tenta repatriar antigos aliados para garantir uma chapa majoritária competitiva para sua sucessão, o diretório municipal do PSDB encontra dificuldades para atrair nomes de peso para disputar a Câmara de Vereadores de Teresina.

Com as mudanças na regra eleitoral para o próximo ano, proibindo as coligações proporcionais, os partidos precisam montar chapas com musculatura de votos para conseguir eleger o máximo de parlamentares. O PSDB, que já teve seis vereadores eleitos e hoje conta com apenas dois, aposta na renovação e na força das mulheres tucanas, mas vive um drama, o desinteresse de lideranças consideradas de maior potencial eleitoral.

“Vamos ter uma eleição em 2020 com uma missão de formar chapa competitiva para disputar a câmara será bastante complicada porque temos que ter um número de candidatos que proporcione uma votação significativa. Com essa legislação, muitos pretensos candidatos se afastam das legendas maiores em busca de facilidades para se eleger em pequenos partidos. Mas, temos um grande trunfo, que é a gestão do prefeito Firmino Filho, que é bem avaliada e é fator importante na definição da chapa de vereadores”, disse o presidente do PSDB em Teresina, vereador Edson Melo.

Vereador Edson Melo

nossas redes sociais