Em Uruçuí, Senadora discute violência contra mulher

A parlamentar defende que não é suficiente prender quem pratica a violência. É preciso reeducar o homem para que não volte a cometer o crime

Por Da Redação
11/06/2017, às 03:49 - Atualizado em 12/06/2017, às 11:40

A senadora Regina Sousa (PT-PI) esteve em Uruçuí, que fica a 428 km ao sul de Teresina, em diligência da Comissão de Direitos Humanos (CDH), para apurar e discutir com a comunidade e autoridades locais, alternativas de enfrentamento e prevenção à violência contra a mulher. O estupro coletivo contra uma adolescente grávida de cinco meses e o assassinato com requintes de crueldade do namorado, no início do mês de maio chocaram todo o País. Crimes desse tipo estão se tornando uma espécie de “epidemia” no País e, segundo a senadora, isso precisa ser enfrentado pelo Estado brasileiro.

“Ações de prevenção à violência contra a mulher e a criação de centros de educação e reabilitação do juiz podem ser decisivos para evitar o crime ou a reincidência do criminoso”, explica a senadora. 

Ela é autora de um projeto (PLS 09/2016), que obriga os agressores de mulheres a frequentar centros de educação e de reabilitação. A proposta de alteração na Lei Maria da Penha já foi aprovada pelo plenário do Senado e está em tramitação na Câmara dos Deputados.

A parlamentar defende que não é suficiente prender quem pratica violência contra as mulheres. Para ela, é preciso reeducar o homem para que não volte a cometer o crime. “Eles são recuperáveis e existem experiências exitosas nesse sentido”, garantiu. Regina acredita que é essencial “trabalhar a cabeça do agressor” enquanto ele está na cadeia para que ele saia de fato recuperado.

Senadora Regina Sousa (PT-PI)

“O menino cresce vendo o pai bater na mãe e acha que isso é normal; que crime é só bater na mulher dos outros. Nós precisamos ensinar a esse menino que violência contra todas as mulheres é crime, antes que ele cometa a primeira agressão”, explicou.

A parlamentar defende que a educação e a prevenção podem ser as portas de saída para a violência, não só no Piauí, mas em todo o País. “É preciso investir na qualificação de pessoas habilitadas a lidar com a violência e as drogas.

Em Uruçuí, Regina Sousa participou de audiência pública na Câmara de Vereadores onde foram realizadas discussões para encontrar formas de enfrentar a violência na região. No debate, também o enfrentamento à expansão do consumo e tráfico de drogas, já que os crimes são interligados

A senadora também pretende visitar da adolescente vítima do estupro coletivo e a família do jovem assassinado.

RELEMBE O CASO

Uma adolescente de 15 anos, grávida de cinco meses foi vítima de estupro coletivo no dia 02 de maio, em Uruçuí. A moça estava com o namorado, Flaviano da Silva Marinho, que foi degolado. O corpo de Flaviano foi jogado no rio Parnaíba. Os dois jovens estavam em uma moto, quando foram abordados por três menores numa tentativa de assalto.

No dia seguinte, a polícia apreendeu três adolescentes, que confessaram o crime. Um dos suspeitos disse ter feito vídeos degolando o rapaz.

veja também

nossas redes sociais